Duxers conhecem modelo de governança da Fundação Renova

O módulo de julho do DUX contou com uma atividade especial. Os duxers e convidados tiveram a oportunidade de conhecer o modelo de governança da Fundação Renova, organização responsável pelos processos de reparação do desastre da barragem do Fundão, ocorrido no subdistrito de Bento Rodrigues, a 35km de Mariana, em novembro de 2015.

Na visita a Porto Alegre, o gerente de governança e riscos da Renova,  Guilherme Tângari, abordou a estrutura de governança da instituição e os principais desafios de atuar em um modelo inédito. A Renova foi criada a partir de um TTAC (O Termo de Transação e Ajustamento de Conduta) assinado em março de 2016. O acordo estabeleceu que a recuperação do Rio Doce seria feita por uma organização autônoma, 100% dedicada às atividades de reparação e compensação dos impactos. O acordo firmado envolve órgãos da Federação, como IBAMA, ICMBio, ANA, órgãos estaduais e municipais, representantes das bacias e as empresas Samarco, Vale e BHPe , responsáveis pelo financiamento de todas as ações.

O tema do protagonismo juvenil também teve espaço no encontro. Bárbara Braga, que também atua na equipe de governança, falou sobre o programa desenvolvido com o Instituto Elos para apoiar iniciativas de jovens da Bacia do Rio Doce.  Três deles vieram a Porto Alegre para relatar suas experiências e  participar de um dia de integração com os duxers: Kelwin Diogo Lauer, , técnico em agropecuária que atua na recuperação de áreas de recarga hídrica em uma organização ambiental;    Polyana Dutra Bastos, à frente do projeto sociocultural Espaço Prainha, realizado na comunidade Santo Antônio, em Mariana, e a estudante de psicologia Mylena Ferreira Guimarães, de Tumiritinga, que desenvolve ações culturais com crianças com o projeto Panderô.

A agenda com a temática da gestão de desastres foi uma introdução ao módulo de imersão do DUX, que este ano terá como destino a cidade mineira. A viagem do grupo será realizada em setembro.

 

 

Comments are closed.