Opinião do duxer: Como se tornar Protagonista da (R)evolução da Mobilidade Urbana

Texto de  Ricardo Pierozan, duxer da turma de 2017.

A mobilidade urbana não é um problema novo, muito menos exclusivo de apenas uma cidade. Com o número de carros crescendo a cada ano e já projetado para atingir 2 bilhões nos próximos 20 anos e o consequente impacto ambiental gerado, países de todo o mundo buscam encontrar novas soluções para as pessoas se locomoverem de formas mais sustentáveis e eficazes pelos grandes centros urbanos.

As Bikes ganham o Mundo

A solução de mobilidade que vive um momento de grande ‘onda’ atualmente é a do bike-sharing. Bicicletas compartilhadas se multiplicam em um ritmo muito acelerado, da China aos Estados Unidos, passando por cada vez mais países e continentes. A bike, que sempre foi um meio de transporte sustentável, rápido, flexível e saudável, agora é oferecida nos grandes centros urbanos de forma distribuída com a ajuda da tecnologia.

Mas nem tudo são flores para o modelo que mais cresceu e se replicou pelo mundo nos últimos anos. Os sistemas ‘dockless’ (sem estações), graças a um cadeado digital preso em cada bike, possibilitam que as pessoas devolvam a bicicleta em qualquer lugar da cidade. Embora o usuário tenha uma maior flexibilidade e praticidade no uso, as consequências do modelo gera diversos problemas (e imagens chocantes) para as cidades: de bikes estacionadas em locais impróprios ou abandonadas pela cidade e vandalismo até os imensos cemitérios chineses de bicicletas compartilhadas, os resultados derivam da lógica de utilizar as bikes como bens ‘descartáveis’.

Já o modelo tradicional de ‘station-based’ (estações fixas), que já está presente no Brasil desde 2013, tem como vantagem a criação de pontos de referência de retirada e devolução das bikes, o que pode gerar maior confiabilidade para os usuários e uma maior organização do sistema dentro da cidade. Ainda assim, o modelo se depara com outros problemas como o alto custo de instalação das estações, a baixa flexibilidade para os usuários, grande dependência do poder público para operar e aprovar a ampliação do sistema e da implementação de novas estações e a segurança dos usuários ao pegar e devolver as bikes.

O Começo da Revolução

Nesse contexto, a Loop nasceu para usar a bike de forma consciente e sustentável como solução de mobilidade urbana. A Loop é o 1ª bike-sharing de ‘Estações Virtuais’ da América Latina. As bikes ficam em pontos de alto fluxo e demanda por opções de transporte, sejam eles estabelecimentos comerciais ou locais públicos, e o sistema de segurança das bicicletas possibilita que elas sejam presas a qualquer paraciclo ou bicicletário. Assim nasce um modelo híbrido, que traz uma maior adaptação do sistema à cidade e segurança e confiabilidade aos usuários dos locais onde podem pegar bikes (como nos tradicionais modelos ‘station-based’) com maior flexibilidade e praticidade para os usuários pela tecnologia presente nas bikes (como em um sistema ‘dockless’).

A Loop não é simplesmente uma startup que busca um crescimento exponencial ‘custe o que custar’, mas também uma solução de mobilidade urbana que se adapta de forma sustentável e estruturada às cidades em que opera. Para gerar um impacto positivo e verdadeiramente transformador, não basta inovar apenas no ‘quê’ fazemos, mas sim em ‘como’ fazemos.

O Desafio

Conscientes disso, já começamos a revolucionar a mobilidade urbana de Porto Alegre e agora temos um novo desafio: aumentar ainda mais o acesso à bikes e o impacto na capital gaúcha e levar a solução para novas cidades!

A melhor forma de começar essa nova fase é como sempre fizemos na Loop: com a colaboração de toda a comunidade! Para isso, lançamos uma campanha de Equity Crowdfunding: Mas o que é isso!? É um financiamento coletivo (uma ‘vaquinha virtual’), assim como já fizemos em 2016 quando estávamos validando a ideia de compartilhar bikes antes de torná-la um negócio. A grande diferença é que ao invés de recompensas, todos os apoiadores recebem equity, ou seja, participação na empresa!

Se tornando Protagonista

Essa é a oportunidade de ser protagonista da transformação da mobilidade urbana! Se você acompanha a Loop desde que ela era um sonho distante, se acredita no poder transformador da bicicleta, se quer um mundo mais sustentável e colaborativo ou se simplesmente não aguenta mais ter poucas alternativas eficientes de transporte na cidade, essa chamada é para todos aqueles que acreditam que um futuro diferente é possível apoiarem de forma direta, investindo e se tornando sócios da Loop!

Para investir, é só acessar www.captable.com.br/loop e, a partir de R$ 1 mil, ajudar a escrever essa história. No site da campanha, estão disponíveis o nosso pitch deck e todas as informações sobre o negócio e o investimento. E, para completar, todos que investirem terão acesso gratuito à plataforma e poderão pedalar à vontade por 2 anos, enquanto quem investir a partir de R$ 5 mil ganharão a assinatura vitalícia da Loop!

Um dos maiores aprendizados (e presentes) que tivemos ao longo da nossa jornada até aqui é poder da colaboração e a sua capacidade de transformar sonhos ‘loucos’ em realidade. Se é verdade que nós nunca tivemos um desafio tão grandioso quanto esse, também é verdade que nunca tivemos uma comunidade tão grande de pessoas engajadas ao nosso lado e, portanto, nunca fomos tão capazes de realizar aquilo que parece impossível…

‘Pois aqueles que são loucos o suficiente para acreditar que podem mudar o mundo, é que realmente o mudam!’

 

 

 

 

 

 

 

Comments are closed.